sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Güell

Depois de uma semana de céu cinza e chuva, eis que surge o sol. Num sábado! E qual o lugar ideal para ir num dia como esse? Humm, vamos pensar... ai que difícil. O Parc Güell, é claro!! Aquele dos ladrilhinhos coloridos, das casinhas "de chocolate", do lagarto. Resumindo: um sábado pra realizar um sonho de infância. Fomos eu e a Samara, minha anfitriã-guia, caminhando até o parque. Ele fica pertinho da casa dela. O único porém é que a região é montanhosa, ou seja, uma bela subidinha pra chegar. Subimos por uma calçada apinhada de turístas indo e vindo, parando nas lojinhas de souvenirs.
Chegar no parque é como mudar de planeta. De repente tudo parece de fantasia. As formas são todas orgânicas, curvas, fluidas. Depois o Márcio me fez observar: não existem ângulos retos nas obras de Gaudí. Como assim não existem?? Não existem!! O cara era um louco mesmo. O parque na verdade foi costruído pra ser o humilde jardim de uma casa. O "tio" Güell, dono da parada, era um desses mecenas, além de ser amigo do arquiteto delirante. A sensação que você tem é de que tudo aquilo brotou da terra mesmo. Os muros de pedra têm umas formas que lembram árvores, cavernas, raízes. E os ladrilhos colados nelas, não por acaso, têm motivos de flores, borboletas e cores lindas de primavera.

FOTO: PRIMEIRA VISÃO DO PARQUE. CASTELINHO DE BRINQUEDO.

FOTO: ENTRADA DO GÜELL.

FOTO: LAGARTINHO MAIS FAMOSO DO MUNDO. UMA BRIGA PRA TIRAR FOTO COM ELE.

FOTO: MINHA GUIA-TURÍSTICA.

FOTO: LOUCURAS NO TETO.

FOTO: LOUCURAS DE PEDRA.

FOTO: SENTADA NUM GAUDÍ, CASINHA DE CHOCOLATE COM COBERTURA DE CHANTILY E VISTA PANORÂMICA DE BARCELONA. SE TIRASSEM OS 893837446529272908 TURÍSTAS DO LUGAR E OS VENDEDORES AMBULANTES ESSE LUGAR IA SER O CÉU.

FOTO: DIA DE SOL. PERFEITO PRO COLORIDO DO LUGAR.

FOTO: O TOPO DA MONTANHA.

AH BARCELONA!

Sonho realizado!! Pena que um dia lindo como esses em pleno outono, e ainda por cima sábado, faz com que toDOOs os turistas do mundo e um monte de moradores da cidade visitem esse lugar ao mesmo tempo. Acho que tira um pouco a magia do local. Claro que ele já está na minha lista dos lugares que eu tenho que voltar várias vezes. De preferência num dia de semana. Amigos, venham me visitar! Levar gente pra conhecer é um ótimo pretexto pra estar sempre lá. Agora preciso ir, meu tempo tá ficando escasso. Procurando uma habitación, fazendo trabalhos da faculdade... depois conto mais sobre o que tá acontecendo nos bastidores dos passeios.

Beijos pra todos.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Explorando...

Com apenas uma semana aqui ainda não tive muito tempo de passear e conhecer os pontos turísticos famosos. Quando ainda estava no Brasil eu dizia que a minha primeira providência aqui seria ir ver os Gaudís. TODOS os Gaudís! Mas não foi bem assim que funcionou. Primeiro porque a minha situação não é de turista, tenho meus compromissos, coisas a resolver e não tenho todo o tempo do mundo pra sair por aí. Segundo porque conhecer lugares tão especiais assim exige dias especiais, uma boa luz, tempo de sobra. Quando você é turista não tem muita alternativa.. sobe o corcovado em dia nublado, anda pelo pelourinho no meio da chuva. Mas eu tenho a sorte de poder esolher o MEU dia e voltar depois para ver na luz da noite, na primavera, no verão. Só que a primeira vez é a primeira vez né? Vamo com calma.
No meu segundo dia na cidade (aquele mesmo do teste de nível, do primeiro dia de aula) fiz o primeiro passeio. O dia amanheceu chuvoso, como sempre eu levo chuva pros lugares que vou. Acho que eu podia até ganhar dinheiro com isso. Fazer viagens patrocinadas pela Funceme, levar chuva pro sertão, já pensou? Pegamos nossos "paraguas" e fomos para a Plaza Cataluña, um dos pontos bem centrais da cidade, com muitas conexões de metrô, muito comércio e muito turismo também. É lá onde começam as Ramblas. No entorno tem lojas como a Fnac, uma loja da Godivaaaa, Hard Rock Cafe, uma loja bem grande da C&A [!!], o Corte Inglés (a loja de departamentos que bomba por aqui) e infinitas outras.

FOTO: PLAZA CATALUÑA. ATÉ NUM DIA NUBLADO CONSEGUE SER LINDA.


FOTO: MAIS UMA NA CATALUÑA.


FOTO: POMBOS DANDO "ZERO BOLA" PRO MEU BISCOITO, E EU DESPERDIÇANDO GALLETAS PRÍNCIPE COM ESSES FEIOSOS.


video
VIDEOZEENHO: É NÓIS NA PRAÇA.


Da praça fomos pelas Ramblas em direção à faculdade, conhecendo o percurso.


FOTO: LAS RAMBLAS

FOTO: FONTE ONDE O BARÇA COMEMORA OS TÍTULOS. QUEM BEBE DESSA ÁGUA VOLTA PRA BARCELONA. JÁ ME GARANTI.

FOTO: LA BOQUERIA. O MERCADÃO DE SABORES DO MUNDO. TEM ATÉ FARINHA DE MANDIOCA.

FOTO: SESSÃO MUITO CHATIEEENHA DO LA BOQUERIA.

video
VIDEO: DENTRO DO MERCADO. ESPECIAL PRO PAPAI QUE AMA EMBUTIDOS, E PRO TIO PEDRO QUE AMA QUALQUER COMIDA.

Depois de tanta água na boca dentro do mercado fomos almoçar. Detalhe: McDonalds! Hahahaha! Super-tudo-a-ver com o clima do mercado, mas era o que o tempo da Samara nos permitia. Comemos uma saladinha muito da boazinha com "sumo de naranja" num McDonalds bem diferente dos que estamos acostumados a ver pelo Brasil. Instalado num prédio antigo, com cores mais sóbrias, vários andares de mesinhas e janelões com vista pras Ramblas.
O post de hoje tá digno de fotolog. Pouco papo e muita imagem. Eu tava devendo, né? Acho que próximo também vai ser assim, porque vou falar do Parc Güell, e as palavras com certeza vão faltar pra descrever esse lugar. Besos em todos. Estou amando os comentários, viu?

sábado, 24 de outubro de 2009

Sobre a Faculdade

Como deu pra perceber pelo post anterior, eu não consegui ir no primeiro dia pra minha aula. Primeiro assim, né? Minhas aulas já haviam começado havia 2 semanas quando cheguei em Barcelona. No total perdi 10 dias de curso. No dia em que finalmente deu tudo certo eu resolvi ir mais cedo e passar antes na escola de espanhol para estrangeiros e saber os horários e preços dos cursos. Mal sabia eu que já poderia fazer o teste de nível e que ele era enooorme, o que me atrasaria pra minha primeira aula da faculdade. Fiz o teste. Cansei a munheca de tanto escrever, esperei um pouco pelo resultado e tcharaaaamm.. Nível 2! Me maaata de orgulho Clarinha!! Hehehe! Achei que ia ficar no Nível-prego-antes-do-um. E olha que meu nível 2 não tem nada a ver com falar português, pois o teste para brasileiros e italianos é diferenciado, exatamente pelas semelhanças entre as líguas.

FOTO: MEU TESTE DE NÍVEL DE ESPANHOL. AINDA BEM QUE DESFOCOU. UFA!

Cabou-se o teste. Corre pra faculdade, passa na secretaria, assina uns papéis (detalhe: em catalão. espero não ter assinado uma doação de todos os meus bens pra senhora-pouco-simpática que me atendeu), procura o número da sala num painel, procura a sala, procura antes a escada pra subir, não encontra, sobe de elevador mesmo, anda, anda, encontra a sala, se joooga na sala. Claro que o professor já estava lá, assim como todos os alunos. Entrei arfando direto pro fundão, o prof. perguntou meu nome e de onde eu vinha eu disse com um sorriso: - Clara, soy brasileña! Respostinha que tive: - Ah sim.. vindo de tão longe entendo que esteja atrasada. Rééé! Na testaa! Na verdade aquele também era o primeiro dia do prof. e ele não sabia que eu estava chegando pela primeira vez, mas só fui entender isso depois.

Sentei no fundão, a menina que estava na minha frente virou, olhou pra mim e sorriu com alegria, como se me conhecesse de algum lugar ou coisa do tipo. Desvirou e na hora do intervalo veio falar comigo. Brasileira! Sempre tem, né? A turma tem uns 20 alunos apenas: duas brasileiras, uma portuguesa, dois colombianos, um venezuelano, uma cubana, um árabe, um americano com cara de mexicano, e, se não me engano, os outros são espanhóis vindos de outras partes da espanha.. nenhum catalão! Acho que isso é bom, afinal tá todo mundo ali com interesses em comum, longe das famílias, creio que isso pode unir bastante a turma. Não fiz muita amizade ainda, conversei mais com a brasileira e a portuguesa por causa da língua, e com os latinos, porque eles são bem expansivos e gostam de perguntar, de fazer amizade. Pelo que notei o núcleo de "imigrantes" da turma já está se reunindo pra sair, combinado jantares e festinhas. Fui até convidada pra ir pra um jantar na sexta, mas era o dia da feijoada de aniversário da Samara e não pude ir. Espero superar a minha timidez que já me é peculiar, agravada com a vergonha de falar meu portunhol torto, e ir aos poucos me agregando à turma.

A Faculdade, como já disse, fica num bairro incrível. A sede é novíssima, linda por dentro e por fora. A fachada é clássica, antiga, com janelinhas e sacadas (assim como a maioria dos prédios das Ramblas) e tem anexo um prédio mais moderno. Por dentro ela tem cara de escola de design mesmo, com uma sinalização legal, umas paredes pretas outras vermelhas, uma com intervenções tipográficas, salas equipadas com Imacs. Cantina pro lanchinho? Rá Rá Rá... tem uma sala de paredes vermelhas com mesões pretos grandes, uma máquina de café e chocolate, uma de bebidas, uma de snacks (moedinhas, pra que te quero!) e um microondas pra quem quiser esquentar algo. Essa sala dá pra um pátiozinho central onde vão os fumantes. E os intervalos duram de 5 [!!!] a 15 minutos, dependendo do humor do professor. Vamos combinar que 15 minutos no meio de 4h de aula é pouco. Ah, do lado de fora tem um mercadinho dos paquis (redução de paquistaneses, que aqui é uma praaaga. Nem todos são paquistaneses, mas todos têm a mesma cara) onde dá pra comprar uns lanchinhos também, mas o preço é o triplo do supermercado.

FOTO: UMA DAS FACHADAS DA FACULDADE.

Mas vamos pro que interessa mesmo: as aulas! Não tive muitas ainda, mas pelo que já vi vão ser sensacionaaais. Os professores são bem preparados, sabem do conteúdo mesmo. Não é como as aulas que tive na graduação e até na pós em que, quase sempre, você fica pensando que poderia perfeitamente dar aquela aula pelo professor. Me lembro que na Unifor tinha professor que levava peças publicitárias lindas e maravilhosas, cases de sucesso e na hora em que a gente via o portfólio dele.. puf! Nível baixíssimo. Enquanto aqui tive aula com um publicitário que trabalhou em grandes agências multinacionais na europa, que mostrou cases lindos e maravilhosos também, mas muitos de autoria do próprio. Aí você se sente bebendo da fonte. Me surpreendi com a ênfase em publicidade que o curso tem, não sei se apenas nesse início mais teórico. Achava que ia ser bem mais voltado pro design gráfico, mas tô gostando muito disso.

Ah.. e papel é coisa do passado, viu? Todas as informações do curso, das aulas, dos trabalhos, são passadas por um blog. Os professores não querem nem conversar com você sobre dúvidas, é "Me manda um e-mail" pra cá, "Me adiciona no facebook" pra lá. A coordenadora do curso falou: - Estou aqui de 16h às 20h, mas se tiver alguma dúvida me liga que é melhor. Vai entender... Acho que sobre a facul, por enquanto é isso. No dia em que me sentir menos "prega" tiro fotos da parte interna, das pessoas e posto aqui. Saudade de tamanho do mundo de tudo e de todos!!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

"Medolicidade"

O meu primeiro dia em BCN foi um misto de medo aterrorizante e felicidade absoluta. Ao desembarcar, muito tensa, sai do avião correndo como quem está atrasada para um compromisso importantíssimo, na minha frente apenas um casal. Saí num terminal gigantesco, andei muuuito seguindo apenas as placas "recogida de equipajes" e o casal que vinha no meu voo, quando eles resolvem mudar de direção e ir ao banheiro. Que ótimo!! Caí numa sala com no mínimo 30 esteiras rolantes e umas indicações muito confusas. Bateu o primeiro desespero, o segundo viria após todas as malas sairem da esteira e eu constatar que a minha ainda não tinha aparecido, o terceiro ao ser parada na saída do desembarque por um funcionário do aeroporto perguntando de onde eu vinha por causa de uma etiqueta verde na minha bagagem. Mas todos esses problemas foram solucionados muito rapidamente, era só a tensão que me fazia imaginar que eu ia ficar o dia inteiro andando de esteira em esteira, preenchendo formulário de bagagem extraviada e explicando em péssimo portunhol que minha malinha não tinha nada demais - além do kit feijoada da Samara, claro.

Fui recebida com muito carinho e calor por minha amiguinha, que mudou o horário do trabalho por minha causa, me levou pra casa e fez um almocinho pra gente. Conversamos muito e contei pra ela que não tava me sentindo bem, que tava com medo, que nunca ia conseguir falar uma única palavra em espanhol. Ela tentou me acalmar contando a experiência dela, mas ouvi-la me fez ficar mais e mais assustada. Só em pensar que em pouco tempo deveria estar na universidade fazendo minha matrícula e entrando de paraquedas numa sala de aula em que as pessoas já se conheciam, dava vontade de me jogar no avião de volta pra casa. Pensei umas 20 vezes antes de ir pra aula no mesmo dia, mas fui!

FOTO: PRIMEIROS MOMENTOS. ALMOCINHO ESPECIAL.

Samara me deu mapas, me esnsinou a andar de metrô, me emprestou seu celular, me deixou na faculdade e perguntou se eu queria ajuda na matrícula. Mas ela tava atrasada, melhor não abusar depois de tanta atenção. Foi a hora em que veio o mantra: "Vai, vai, vai, vai, deixa de besteira!" Respirei fundo e hablei español pela primeira vez. A senhora do outro lado do balcão me disse que nao poderia me matricular pois minha vaga tinha expirado [!!!!!]. - Mas minha senhora, tenho um email dizendo que posso me matricular até "beintedóss", hoje ainda são "diessenuebe". Lá fui eu pro meio da rua atras de um cyber e uma impressora imprimir o bendito email. Foi exatamente aí que acabou a parte do medo e veio a felicidade.

Andando pelas Ramblas, uma espécie de calçadão turístico onde está "ubicada" minha faculdade, comecei a esquecer que estava procurando um computador. Uma das informações que pedi me levou pra uma ruazinha transversal e eu avistei uma praça, fui até lá... e já era!!! Comecei a ver coisas lindas e seguir em frente. O lugar é um bairro gótico, cheio de bequinhos estreitos, curvos e em aclive, paredes de pedra, construções lindas, luminárias incríveis. Lojinhas por todos os lados. Andei, andei, encontrei dois palácios com uma praça no meio. comecei a não acreditar no lugar em que estava. Senti o vento frio no rosto, olhei pras pessoas, pras folhinhas de outono no chão e me senti livre, diferente, num filme, num sonho, numa vida nova. Para minha sorte estarei nesse lugar todos os dias. Prometo levar a câmera e compartilhar um pouco.

Me senti mais forte ainda ao conseguir encontrar o tal cyber depois de muitas voltas, imprimir o documento, voltar na universidade e resolver meu primeiro pepino em lígua estrangeira. Marquei de encontrar com o Márcio, que estava saindo do trabalho, outro abraço receptivo e caloroso. Voltamos pra casa e eu me senti em casa também.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Uma estrela caiu do céu

Prometi pra mim mesma que só ia chorar ao entrar no avião. Não queria que ninguém visse um traço sequer de sofrimento em mim, afinal todos sabiam que isso era algo que sempre quis e sempre que diziam que iam sentir minha falta eu já completava: "que nada, dez meses passam voando!". Claro que esses dez meses vão ser mais longos pra mim do que pra qualquer um, claro que vou sentir mais saudades do que todos, era apenas uma questão de auto-proteção.
Obviamente meu plano falhou, no último abraço no portão de embarque não deu pra segurar, e assim foi durante quase toda a viagem. Principalmente quando ligava o Ipod e seu shuffle-sexto-sentido-que-prevê-sentimentos. Depois de algum tempo de voo, já com a cabine do avião escura eu resolvi olhar pela janela e percebi que lá fora tinha um lindo céu estrelado. Peguei o cobertor espesso da TAP pra cobrir os resquícios de luz que vinham dos monitores nas poltronas. Quando encostei a cara no vidro caiu uma estrela. Enorme! Brilhante! Certeeeza ela caiu pra mim. Fiz o meu pedido e tive a certeza de muita coisa boa estava me esperando. Chorei de alegria, de saudade, de ansiedade... fiquei grata por chorar. Porque o choro, mesmo quando vem da dor, nos mostra que temos sentimentos e que somos capazes de senti-los. Isso mostra que estamos vivos.

Oito horas de voo até Lisboa, dia amanhecendo no velho continente, um céu que eu nunca tinha visto igual. Lá embaixo um mapa de uma cidade orgânica, cheia de montes, construções diferentes, me dando a certeza de que eu estava chegando num lugar completamente novo. Aterrisagem, imigração, longa e sonolenta espera em uma nova sala de embarque (não consegui pregar o olho durante a madrugada inteira), e finalmente vamos pro destino final: Barcelona!

Lugar que sempre me atraiu, desde criança. Me lembro de ler uma revista de viagens cuja capa tinha uma foto da Sagrada Família. Nunca tinha ouvido falar desse lugar. Na época as olimpíadas de 92 ainda iam acontecer. Folheei a revista e vi as fotos dos ladrilhozinhos coloridos de Gaudí, casinhas que pareciam de chocolate, uma igreja que nunca termina de ser construida e pensei: Como assim ninguém fala de Barcelona? Porque falam de Paris, Roma, Veneza, Nova Iorque.. e não de Barcelona??? Muitos anos depois um casal querido de amigos resolve se mudar pra esse lugar, caíram de amores pela cidade, falavam diariamente por msn de tudo que viam, mandavam fotos, vídeos, postais, e eu não pude evitar de estar aqui agora. Acho que também vou ter um caso de amor com ela. Aquela estrela que caiu do céu me garante que sim.